Rádio Big Rock

Translate

11 de julho de 2018

De Papo com Fabio HZ

Foto: Fabio Blanes




Nosso site Big Rock N' Roll em parceria com a NeoRock Zone, realizou uma entrevista super legal com o músico Fabio HZ.

Fabio conversou comigo (Juliana) e com nosso parceiro Fabio Blanes, da NeoRock Zone, sobre seu projeto The Bon Jovi Acoustic Experience, sua carreira como músico e algumas novidades que estão por vir.

Confira!


  •  A gente sabe que muitas vezes homens sofrem um tipo de preconceito quando dizem que curtem Bon Jovi. Quando você descobriu a banda e começou a gostar mesmo? Você já tocava violão ou foi por influência de Richie Sambora?
Fabio: Eu descobri a banda por acidente no verão de 1995 (aos 14 anos), quando ganhei de amigo secreto na escola o álbum These Days. Eu não era muito fã de música em geral, escutava muito pouco, mas como tinha ganhado de presente o CD acabei me forçando a ouvi-lo e de repente a mágica aconteceu. Eu já tocava violão desde os 6 anos, mas era algo meio que forçado pelos meus pais, nesta época eu não liguei uma coisa a outra, ser músico não passava pela minha cabeça. Apenas dois anos mais tarde, quando decidi entrar para uma banda de rock, a influência de SAMBORA apareceu! Eu comecei querendo ser um guitarrista, como ele e tentei por alguns anos, mas no final das contas a minha aptidão vocal e gosto por escrever músicas me aproximaram mais de JON e naturalmente virei um cantor que toca guitarra e violão, como JON e não o contrário, como RICHIE.


  •  Você tem um álbum de músicas inéditas gravado em 2012. Fala um pouco desse trabalho, o processo de composição e os desafios de divulgação.
Fabio: Em 2012 gravei meu primeiro e único álbum de músicas inéditas chamado: “Nem todo amor (pode ser ideal)”. Neste álbum juntei algumas das minhas composições, que escrevi desde os 16 anos e tentei colocar minha personalidade musical. Para ser bem sincero eu não gravei este álbum com a intenção de distribuí-lo ou seguir uma carreira musical autoral a partir daí... Eu gravei porque queria registrar um pouco dos 17 anos que passei escrevendo e participando de algumas bandas como vocalista e guitarrista. Desde sua gravação o disco está disponível para download de graça no meu site www.fabiohz.com.br


  • Sua experiência de palco veio de tocar na noite com bandas covers de rock e pop. Como foi essa transição de banda para artista solo?
Fabio: Eu toquei em bandas de rock dos 16 aos 31 anos. Neste período vivenciei todas as dificuldades que nós, os gladiadores da música passamos aqui em nosso país. Fiquei este tempo todo tocando por aí, porque amo muito mesmo a música, porque as dificuldades, a falta de oportunidades e principalmente a falta de respeito que o nosso país tem com a música é algo bastante desanimador. A transição foi uma coisa natural por dois motivos principais, o primeiro e mais importante foi a minha vontade de conduzir os meus projetos a minha maneira e o segundo foi econômico, sozinho os meus projetos são mais fáceis de produzir e o lucro é muito maior;


  • O show The Bon Jovi Acoustic Experience é muito mais que banquinho e violão. Conta pra gente os equipamentos que você usa para criar aquela atmosfera de banda com apenas uma pessoa tocando no palco.
Fabio: Acho que o primeiro e mais importante são os violões, utilizo apenas instrumentos de primeiríssima linha, no meu set tenho apenas Martin’s, Taylor’s, Gibson’s e o famoso Takamine EF 441 Jon Bon Jovi Signature. Mas a mágica acontece mesmo no meu set de pedais, que é  composto por um pedal de CHORUS, um POG, um Sintetizador de Órgãos, um BOOST e o principal, uma pedaleira de LOOP, onde eu gravo previamente outros violões, contra-baixos e alguns segredos, que vou soltando durante as apresentações e proporcionam ao público, como você bem disse, a sensação de que tem uma banda no palco e não apenas um cara com um violão.


  • Qual foi o critério para montar o setlist, já que Bon Jovi tem uma lista enorme de sucessos?
Fabio: Eu tento fazer uma mescla entre os sucessos e as canções lado B, os fãs como eu amam as músicas mais desconhecidas; Mas todas as músicas que fazem parte do meu setlist são versões acústicas que JON e RICHIE já tocaram algum vez, apenas os dois, voz e violão, em apresentações mais intimistas, este é o meu critério principal.


  • Não posso deixar de perguntar: qual sua música preferida do Bon Jovi e por que?
Fabio: É bem difícil responder esta pergunta, acho que para fãs como eu as músicas favoritas vão mudando de tempos em tempos, mas acho que neste momento minha música favorita é "Superman Tonight" do álbum The Circle;


  • Você pensa em incluir os novos sucessos da banda nas próximas apresentações?
Fabio: Sim, eu comecei novamente as pesquisas e já estou ensaiando coisas novas, com certeza no próximo show já vou apresentar coisas novas;


  • Além de Bon Jovi, o que mais toca na sua playlist?
Fabio: Eu tenho um gosto musical bem restrito e também é meio volante, tenho fases, agora estou em uma fase John Mayer, escutando bastante e variando um pouco com Jazz instrumental, especialmente John Coltrane.


  • Quando serão as próximas apresentações pelo país? 
Fabio: As minhas próximas apresentações já confirmadas são:
- 21 de Julho no Teatro Municipal de Ubatuba;
- 29 de Setembro no Regina Vogue em Curitiba;
- 9 de Novembro no Teatro Estação Cultural em Belo Horizonte;
- 7 de Dezembro no Teatro Itália em São Paulo;


Por: Juliana Carpinelli - Big Rock N' Roll  /  Fabio Blanes - NeoRock Zone

Nenhum comentário:

Postar um comentário