Rádio Big Rock

Translate

sábado, 18 de novembro de 2017

Rock na Paulista!



Uma bela manhã de sol e para completar, feriado bem no meio da semana. Ótimo para ficar em casa e relaxar, certo?! Não para quem curte o bom e velho Rock n’ Roll!!!


A Av. Paulista foi palco de muito rock nesta quarta-feira (15) com o evento “Rock na Paulista”, que contou com as bandas Ossos Cruzados, Liférika e Santa Zona. 
A primeira banda a se apresentar foi Ossos Cruzados e já começaram com força total, apresentando seu horror punk para o público que chegava por ali.

 
A banda tocou as faixas que compõem o álbum de estreia “Miolos” (2017) e a voz forte e imponente do vocalista André Honorato fizeram toda diferença. O show esquentou ainda mais a galera que curtia o som (fazia um calor insuportável, estávamos literalmente fritando!). “Tubarão (Shark Attack)”, “Chamado (Samara)” e “Clube da Luta” foram interpretadas de forma esplêndida pela banda, que conta com Daniel Silveira (guitarra), Adriano Nascimento (baixo) e Wanderley C. Junior (bateria). A Ossos encerrou a apresentação com um belo cover de “Ace Of Spades”, do Motörhead e dessa vez com o vocal de Adriano Nascimento.

 
Ás 12hs, a Paulista já estava bem movimentada (o sol cada vez mais forte) e foi somente o tempo de se refrescar tomando uma água ou cerveja que a próxima banda estava pronta para iniciar.
O Liférika começou com energia e carisma que já estamos acostumados a ver em suas apresentações. Diego Oliveira (vocal e guitarra), Adriano Nascimento (baixo) - sim, para quem não sabe Adriano é baixista das bandas Ossos Cruzados e Liférika - e Tiago Sorrentino (bateria) apresentaram as músicas de seu álbum de estreia que leva o nome do Power Trio, Liférika (2016).

 
Tiago Sorrentino, que é baterista da banda Endigna, está colaborando para cumprir a agenda de shows do Liférika até que o processo para o baterista fixo seja cumprida. “Meu Amigo”, “Ao Velho Mundo” e “Em Sã Consciência” (eu curto muito essa música), foram algumas das canções apresentadas em um dos maiores shows do Liférika. Pouco antes do início do show, conversamos com o vocalista Diego e o mesmo confirmou que o Liférika está com ótimos planos para o próximo ano e um deles é gravar um novo álbum. Vamos torcer para sair logo!
 

Quase no final do show, o local onde ocorriam as apresentações estava totalmente tomado por amantes do Rock n’ Roll. O Liférika encerrou a sua histórica apresentação com o grande sucesso “Rua Augusta” e contou com as participações do vocalista da Ossos Cruzados, André Honorato e da vocalista do Endigna, Thais. Percebendo a animação da galera, o baterista Tiago sugeriu um BIS e mandaram muito bem com “Bete Morreu”, do Camisa de Vênus.

 
Encerrando esse belo festival, a banda Santa Zona! A banda tem um público fiel que acompanha as apresentações em todos os lugares e era possível notar algumas pessoas com camisetas da banda bem na frente, provando que a trajetória do Santa Zona é super reconhecida. 

 
Com letras fortes e que remetem muito à periferia (a banda é de Taboão, juntamente com as bandas Ossos Cruzados e Liférika), a banda mostrou sem som pesado e a galera curtiu muito. “Minha Vida É Minha”, “Exorcisando” e “O Bar Mais Pesado de Todos os Tempos” foram alguns dos sucessos apresentados pelos integrantes José Roberto Dutra (vocal), Rene Garrido (guitarra), Alexandre Castro (Che) (baixo) e Mario Bibiano (bateria).


E assim, encerraram esse dia de muita música e provaram que o Rock n’ Roll jamais irá morrer. Temos que dar mais espaço para as bandas independentes, pois o nível das letras e melodias é simplesmente fantástico. Que venham outros “Rock na Paulista”!!!


Setlist – Ossos Cruzados:

1- A Praga
2- Miolos
3- Boneco Assassino
4- Chamdo (Samara)
5- Godzilla
6- Tubarão (Shark Attack)
7- Vampiro do Jaburu
8- Vozes
9- Christine
10- Ela / I Believe in Miracles (cover Ramones)
11- Ace Of Spades (cover Motörhead)
12- Clube da Luta



Setlist – Liférika:

1- Meu Amigo
2- Ao Velho Mundo
3- Ao Velho Mundo Parte II
4- Cilada
5- Brincando com a Sorte
6- Nada Mudar
7- Em Sã Consciência
8- Rua Augusta
9- Bete Morreu (cover Camisa de Vênus)



Setlist Santa Zona:

1- Minha Vida é Minha
2- Trem Sem Freio
3- Diana I
4- Diana II
5- Exorcizando
6- Mais e Mais
7- Piriguete
8- O Bar Mais Pesado de Todos Os Tempos


Por: Juliana Carpinelli
Fotos: Mila Pinheiro
Agradecimento especial: Ossos Cruzados / Liférika / Santa Zona

Malcolm Young, guitarrista do AC/DC, morre aos 64 anos

A banda divulgou neste sábado (18) um comunicado sobre a morte do músico.
"Malcom, ao lado de Angus, era o fundador e criador do AC/DC. Com grande dedicação e comprometimento ele era uma das forças por trás da banda. Como guitarrista, compositor e visionário ele foi perfeccionista e um homem único", disse a banda.
Em 2014, após 40 anos no AC/DC, Malcolm deixou a banda por sofrer de demência e outros problemas de saúde.
Segundo o comunicado, ele "morreu tranquilamente com sua família ao seu lado".


Foto: Facebook AC/DC

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Jota Quest faz show de estreia de álbum Acústico

No último sábado (11), a banda mineira Jota Quest se apresentou no Espaço das Américas para o primeiro show do novo DVD intitulado “Jota Quest Acústico – Músicas Para Cantar Junto”.

A apresentação deu início às 23hs e a casa estava repleta de fãs que já acompanham a história da banda, que tem mais de 20 anos de carreira. Sucessos como “O Sol”, “Só Hoje”, “Dias Melhores” e “Na Moral” foram apresentados em versões acústicas inéditas, além de novas canções compostas especialmente para esse projeto e foram cantados a plenos pulmões pelos fãs. Rogério Flausino (vocal), Marco Túlio Lara (guitarra), PJ (baixo), Paulinho Fonseca (bateria) e Márcio Buzelin (teclados) apresentaram um show bem mais intimista do que estamos acostumados a ver, mas sem perder a essência do grupo que nunca deixa de interagir e algumas vezes nem o próprio Flausino conseguiu se conter e levantou para cantar e pular. 

Destaque para a mega produção do show que teve uma programação visual fantástica, além da iluminação retro-futurista que davam um ar diferente a apresentação, assinados por Ludmila Machado e Lino Pereira.
O pontapé inicial desse novo DVD Acústico foi com o pé direito, pois todos saíram satisfeitos e felizes por presenciar uma noite tão agradável ao som de músicas de qualidade.


Por: Thaiz Angelica Franzoni
Foto: Thaiz Angelica Franzoni
Agradecimento pelo credenciamento: Fabi Villela / Estela Lopes - Espaço das Américas
Vídeo do Dia: 

Franz Ferdinand - Right Action

Bandas consagradas do metal nacional juntas em dezembro no Rio de Janeiro



Quatro consagradas e respeitadas bandas nacionais de metal estão escaladas para uma noite de peso no próximo mês de dezembro no Rio de Janeiro. No domingo do dia 17, a partir das 16 horas, Taurus, Nervochaos, Coldblood e Velho prometem incendiar o La Esquina, na Lapa. Os ingressos antecipados para este evento na capital carioca estão à venda, online, por R$ 20 pelo site da Ticket Brasil; na hora, custará R$ 30.

Prata da casa e considerada um dos pilares do metal brasileiro, o lendário Taurus foi concebido em meados da década de 1980 como uma banda de speed/thrash metal influenciada principalmente pela prolifera cena da Bay Area (Estados Unidos), unindo peso e melodia, com letras em português. Mais de 30 anos depois, continuam motivados e em ótima forma para trazer ao palco do La Esquina os clássicos “Fissura”, “Signo de Taurus”, “Massacre”, “Dias de Cão”, entre outras.

Outro respeitado nome do metal nacional, e recém-chegados de mais uma vitoriosa turnê mundial, o Nervochaos atualmente divulga o sétimo álbum “Nyctophilia”, que acrescenta velocidade e obscuridade ao sempre eficiente metal extremo da banda. Além disso, a atual formação é considerada pela mídia especializada como a mais técnica de toda a carreira. O profissionalismo e rodagem do Nervochaos são a certeza de um retorno ensandecido ao Rio de Janeiro no dia 17/12 após shows por diversos cantos da Europa, América do Sul, América Central e Ásia.

Coldbood, também do Rio de Janeiro, está na ativa desde a década de 1990 e constantemente incrementando o death metal que praticam com temáticas satânicas e escancarando críticas diversas. Contra a estagnação, a banda se reinventa a cada lançamento e o mais recente, “Indescribable Physiognomy of the Devil”, intensifica a pegada extrema com doses de black metal.

Completa o line up a banda Velho, a formação mais nova do festival, mas que desde a criação em 2009 impressiona pelo vigor de um black metal ríspido e intrigante nos diversos EP, demos, álbuns e split lançados. Os cariocas – de Duque de Caxias - também cantam em português e abusam de riffs dilaceradores.


SERVIÇO:

Taurus, Nervochaos, Coldblood e Velho no Rio de Janeiro
Data: 17 de dezembro de 2017 (domingo)
Horário: a partir das 16 horas
Local: La Esquina
Endereço: Avenida Mem de Sá, 61 - Lapa - RJ
Ingresso: R$ 20 (antecipado), R$ 30 (portaria). Venda online: https://ticketbrasil.com.br/show/5594-taurus-riodejaneiro-rj/ 



Agradecimento: Erick Tedesco - Tedesco Comunicação e Midia
Foto: Divulgação

Gods & Punks repercute sucesso do debut Into the Dunes of Doom



Apenas um mês após lançado em serviços de streaming e em formato físico (CD), “Into the Dunes of Doom”, o primeiro full length do Gods & Punks, recebeu somente críticas positivas da mídia brasileira e estrangeira, que destacaram principalmente a capacidade da banda carioca em apresentar composições que fundiram com precisão os gêneros stoner, doom e progressivo a partir de andamentos bem sacados e muitos riffs. As músicas do disco também funcionaram ao vivo e a repercussão veio na mini turnê realizada entre os meses de outubro e início de novembro.

Unânime quanto à relevância do trabalho do Gods & Punks na ainda em formação cena stoner nacional, as resenhas divergiram, no entanto, sobre os destaques do álbum. “Achei muito legal que o pessoal diversificou ao apontar as suas músicas favoritas. Ouvi todas sendo apontadas como favoritas em algum momento. A receptividade foi muito melhor do que a gente esperava, tanto em resenhas quanto opiniões de pessoas que ouvimos”, comenta o vocalista Ale Canhetti.

A volta aos palcos com material novo também promoveu sentimentos exaltados à banda, que é completada por Pedro Canhetti, Rafael Daltro (guitarra), Danilo Oliveira (baixo) e Arthur Rodrigues (bateria). “Agendar a mini turnê do disco foi muito mais trabalhoso que gravar ele. Foi muito bom tocar as músicas pro pessoal, elas foram super bem recebidas e nossos melhores shows foram nesse tempo”, destaca o vocal.

Na opinião de Canhetti, a música de "Into the Dunes of Doom" que melhor funciona ao vivo é “Subatomic Wormhole”. “O peso dela ao vivo é outra coisa. Em termos de contagiar o público, acho que seria ‘Mushroom Cloud’. Quando a gente toca Mushroom, eu costumo sair do palco e falar com o pessoal, beber uma água etc., e eu sempre fico observando as pessoas nesse momento, e vejo elas bem animadas”.

O entusiasmo do sucesso imediato de "Into the Dunes of Doom", disponível em CD e online pelo esforço da banda junto às gravadoras Abraxas, Dinamite Records e Red House (Chile), animou o quinteto a já pensar em novas composições, e consequentemente, um novo álbum que deve trazer novas referências musicais ao stoner progressivo.  “O plano é lançar o próximo disco no primeiro semestre do ano que vem. Já começamos a compor e queremos fazer algo diferente. Dunes teve muito prog, muito stoner. Vamos pegar o núcleo do nosso som, que a gente apresentou no EP, e misturar com outras influências tipo doom, thrash, space etc. A gente não quer deixar a bola cair, além disso, nos divertimos muito compondo”, enfatiza Canhetti.

Gods & Punks - Into the Dunes of Doom
(Abraxas/Red House/Dinamite Rec.)
Ouça aqui:
https://onerpm.lnk.to/GodsAndPunks





Agradecimento: Erick Tedesco - Tedesco Comunicação e Midia
Foto: Victor Mancebo

Novo álbum solo de Joe Perry

O guitarrista do Aerosmith, Joe Perry, lançará seu novo álbum solo, intitulado "Sweetzerland Manifesto", no dia 19 de janeiro via Roman Records.
O disco com 10 faixas foi gravado em Los Angeles e teve Bruce Witkin e o próprio Perry na produção.


Foto: Divulgação / Internet