Dicas

Translate

10 de outubro de 2019

Guitar Clinic com Phil X no Rio de Janeiro

Foto: Lívia Costa

Na última segunda-feira, 30 de setembro e, como esquecer, pós-Rock in Rio, fomos convidadas pelo site Big Rock N´Roll a assistir o Guitar Clinic do Phil X. O evento foi realizado pela OnStage Agência no Teatro Prudencial (antigo Teatro Manchete, o Teatro Adolpho Bloch), na Glória, bairro tradicional da zona sul carioca. Guitar Clinic, nada mais é, que uma forma de aprender com um guitarrista mais experiente e onde este ensina truques, alguns riffs…é uma valiosa troca de experiência e vale a pena para os profissionais, aprendizes e também aqueles que gostam de um bom rock and roll, além do público presente poder fazer algumas perguntas para o guitarrista.
Como eu também havia assistido o Guitar Clinic de São Paulo, no dia 24 de setembro no Manifesto Bar, já sabia o que me esperava.

Foto: Lívia Costa

Philip Eric Xenidis (ou Phil X), é músico greco-canadense conhecido por ser guitarrista de estúdio (já tocou com Avril Lavigne e Alice Cooper) e por seus vídeos no YouTube fazendo  demonstrações para a Fretted Americana e, foi fazendo demonstrações que um belo dia, John Shanks mostrou um dos vídeos para Jon Bon Jovi (lead singer do Bon Jovi) e, este gostou do que viu. Em 2011, substituiu algumas vezes Richie Sambora (então guitarrista do Bon Jovi), enquanto este estava se tratando em uma clínica de reabilitação. O tempo passou, Phil continuou com as demonstrações e seu trabalho com o The Drills. Até que em 2013, é chamado para novamente substituir Richie Sambora na tour do Bon Jovi “Because We Can”, de onde não saiu mais. Hoje, ele está no Bon Jovi e, paralelamente, continua tocando com o The Drills.
Aproveitando a passagem do Bon Jovi pelo Brasil (a banda fez quatro shows no Brasil dessa vez – Recife, São Paulo, Curitiba e Rock in Rio), ele resolveu fazer o Guitar Clinic, primeiro em São Paulo, no dia 24 de setembro e, no dia 30 de setembro, foi a vez da Cidade Maravilhosa conhecer um pouco desse guitarrista de talento ímpar.

Foto: Lívia Costa

O público presente era bem variado: alguns profissionais, curiosos, e muitos fãs do Bon Jovi, já que na própria segunda-feira de madrugada a banda havia se apresentado no Rock in Rio. Quem achou que ele fosse chegar cansado, com olheiras e de mau humor, caiu do cavalo. Nem parecia que há algumas horas atrás ele havia se apresentado para um público de 100 mil pessoas na Cidade do Rock. Ele era a animação em pessoa!
Já chegou no palco brincando com o tradutor, na hora de apresentá-lo ao público, Phil disse que queria um tradutor engraçado, e não apenas para traduzir o que ele dizia. E, em seguida, demonstrou um solo de guitarra, explicando o porquê de cada nota num determinado momento.
Phil respondeu todas as perguntas, e sempre com simpatia e muito carisma, sempre fazendo piadas. Quando perguntado sobre o que modificava a voz em “Livin´  On a Prayer”, ele explicou que o que faz isso é o talk box, instrumento muito utilizado desde os anos 70 por Peter Framptom. Ele explicou que é uma espécie de mangueira de plástico, bem mais fina que as usadas em jardins,  que são ligadas aos amplificadores.
Em seguida, um adolescente pediu para o Phil que este reproduzisse o solo de guitarra da música “Runaway”, este foi prontamente atendido, além de ter pedido para que autografasse a sua guitarra. No mesmo momento, Phil X autografou a guitarra do menino, no palco mesmo.
Quando perguntado sobre as gravações em estúdio e sobre o novo álbum, o 'Bon Jovi 2020', ele disse estar empolgado por participar mais desse álbum e, ainda sobre um solo específico que ele gostou bastante de fazer, no entanto, não poderia dizer mais nada. E, sobre as gravações em estúdio, ele diz que Jon Bon Jovi sempre tem uma ideia específica, mas que John Shanks o ajuda a defender suas ideias.

Foto: Lívia Costa

Além de perguntas profissionais, ele também respondeu perguntas pessoais, como quanto tempo por dia ele ensaia. Ele disse que atualmente, quando está em casa ele não ensaia, pois dedica seu tempo livre a família, mas antes praticava 8 horas por dia. Quando peguntado como ganhou seu primeiro instrumento, ele respondeu que ganhou sua primeira guitarra aos 5 anos de idade e que seu pai o incentivava, pois o colocava para tocar em concursos desde criança.
Quando perguntado de onde vinha a sua inspiração para compor, ele disse que uma vez ele estava no semáforo esperando abrir, e o barulho do sinal deu uma ideia de um som.
Entre uma pergunta e outra, ele demonstrava alguns solos, algumas músicas da sua outra banda, “Phil and The Drills”, como uma versão de “Kick Your Ass in 17 minutes” e, finalizando o Guitar Clinic, ele fez um mash-up, tocando vários solos de guitarra que ele considera os melhores...teve “Beat It”, “Hotel California”, “Bohemian Rhapsody”, “Smoke on The Water”, “Highway to Hell”… E com esse mash up, terminou o Guitar Clinic do Phil X e todos se encaminharam para o hall do teatro, dando início a sessão de fotos.

Foto: Lívia Costa

Fui com a minha camisa do site “Big Rock N´Roll”, na esperança que ele reconhecesse (ele ganhou uma camisa do site no Guitar Clinic de São Paulo). Quando chegou a minha vez, ele reconheceu a camisa de primeira e eu agradeci o show do Rock in Rio e disse que estava lá e, inesperadamente, ele disse “Que legal!”e fez um high five comigo.
Comparando com o workshop de São Paulo, o do Rio de Janeiro foi mais intimista, mas ele não ficou tão próximo do público como ficou em São Paulo.
Em quase 2 horas de workshop, percebi o quanto Phil X é extremamente talentoso, criativo, simpático e carismático. Mas o que chamou a minha atenção foi o quanto ele é humilde, tem os pés no chão… Não deixou a fama o corromper. Sim,ele merece todo o sucesso que tem e ainda terá.



Por: Renata Ribeiro

Agradecimento pelo credenciamento: Erick Tedesco - OnStage Agência

Nenhum comentário:

Postar um comentário