Dicas

Translate

11 de janeiro de 2020

Samsung Best Of Blues @Auditorio Ibirapuera – São Paulo (SP), 27/10/2019

Foto: Roberio Lima


Pelo quarto ano seguido, nós do Big Rock N’ Roll estivemos no auditório do Ibirapuera para conferir mais uma edição do tradicional evento patrocinado pela famosa marca de eletroeletrônicos asiática. Esse ano (2019) fica fácil dizer que a curadoria do festival caprichou - e trouxe nada menos que Zakk Wylde e Kenny Wayne Shepherd – duas das mais badaladas atrações do momento. Como já é de praxe, sempre uma atração nacional faz as honras da casa. Nina e Tati Pará tiveram a incumbência de iniciar os trabalhos do dia - e como veremos nas próximas linhas, o fizeram com boa desenvoltura. 

Foto: Roberio Lima

Bom, antes de falarmos do show propriamente dito, precisamos registrar momentos do que rolou na entrevista coletiva concedida antes do espetáculo. Depois de um atraso considerável, jornalistas e fotógrafos se amontoaram na parte interna do auditório para fotografar e entrevistar os artistas envolvidos. Antes disso, mais uma vez cumprindo uma tradição do evento, um representante da patrocinadora agradeceu os profissionais da imprensa e ressaltou  importância dos que estavam ali para o projeto. A organização foi generosa, e enquanto os artistas não se posicionavam para a sabatina, as bebidas e quitutes disponibilizados para à imprensa, garantiram  a alegria de todos os envolvidos. 
Assim que Zakk Wylde, Kenny Wayne e Nina Pará, se posicionaram em suas cadeiras, o alvoroço foi inevitável – muito em partes pela presença de Zakk, que já tem um número de visitas considerável ao país, inclusive como integrante da banda de Ozzy. Por isso, praticamente todas as perguntas foram direcionadas para o guitarrista americano. Nina e Tati tiveram que sair no meio da coletiva, pois o show seria iniciado em poucos minutos. A coletiva que já estava meio tumultuada, ficou de certa forma impraticável com o início do show de Nina e Tati, pois o som vindo do palco, ecoava dentro da sala. 
Entre as muitas perguntas, um delas mesmo sendo absolutamente clichê, teve uma resposta interessante de Zakk Wylde; - quando foi questionado se conhecia algum artista brasileiro, respondeu que admirava o trabalho de Almir Sater (finalmente um gringo que não menciona o Sepultura!)... Não muito tempo depois, os repórteres e fotógrafos deixaram seu ofício de lado para ‘tietar’ o músico americano. No meu caso corri para a parte externa do auditório para assistir a parte final da performance do duo brasileiro. O público estava sedento por diversão e as meninas fizeram o possível para entregar um show de qualidade. No entanto, tiveram que encerrar o show sem tocar a última música, pois não havia mais tempo e o palco precisava ser preparado para a próxima atração. 

Foto: Roberio Lima

A inclusão de Kenny Wayne Shepherd causou um enorme burburinho. Dias antes, muitos já comentavam nas redes sociais a expectativa de testemunhar a apresentação do artista. Como já era de se esperar, o show foi intenso, e é possível afirmar que foi a melhor apresentação dessa edição. Com uma técnica absurda, Kenny apavorou no palco e fez a galera ficar boquiaberta sem muito esforço do músico. O set que teve entre outras “Woman Like You” e “While You Cry”, teve como “Gran Finale” a homenagem ao mestre Jimi Hendrix com “Voodoo Child”. Uma apresentação de gala, que encantou até os desavisados que estavam ali para assistir a um show de “roqui”. 

Zakk Wylde é muito conhecido por essas bandas, tanto pela já mencionada participação na banda de Ozzy Osbourne como por sua própria banda; - o Black Label Society. 
Já esteve no país inclusive com seu projeto que faz tributo ao Black Sabbath – o Zakk Sabbath! No entanto, a expectativa dos que aguardavam uma apresentação memorável, se decepcionaram. O músico assumiu o palco tocando “Whipping Post”(The Allman Brothers Band), numa “Fritação” absurda, que deve ter irritado até os já falecidos Duane e Gregg Allman, tamanho o exagero da performance. “Cross Road Blues”(Robert Johnson), foi outra que entrou no set para delírio de alguns e para o total desespero dos mais puristas. O final veio com “War Pigs” (Black Sabbath) e aqueles loucos por “roqui” foram ao delírio, ao mesmo tempo que muitos saíram do Ibirapuera sem entender o motivo do exagero sonoro. O saldo final, mesmo com todo o excesso de virtuose de Zakk Wylde foi muito positivo. Vamos ver o que nos espera para a próxima edição. 


Set List Kenny Wayne Shepherd:

Trouble Is…

Woman Like You

Shame, Shame, Shame

I Want You

While We Cry

Blue On Black

Voodoo Chile


Set list Zakk Wylde:

Whipping Post 

Machine Gun

The Ocean 

Cross Road Blues

Whipping Post (reprise)

Fire It Up

War Pigs


Por: Roberio Lima

Agradecimento pelo credenciamento: Luiz Carlos Franco - Primeira Página Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário