Rádio Big Rock

Translate

terça-feira, 26 de setembro de 2017

São Paulo Trip: Bon Jovi faz show impecável em São Paulo

Para quem achava que o Bon Jovi havia “morrido”, digo com todas as letras que estão enganados. A banda está mais viva do que nunca!

A banda se apresentou na noite deste sábado (23) para um Allianz Parque completamente tomado por fãs que aguardavam por essa apresentação desde sua última passagem pela capital em 2013. Antes da apresentação, o grupo The Kills fez a abertura da noite mostrando um som um tanto quanto pesado, mas que boa parte do público curtiu.



Alguns minutos antes do horário previsto para o início da apresentação, as luzes se apagaram e a bandeira do Brasil apareceu no telão central, indicando o início do show principal. A primeira música tocada foi “This House Is Not For Sale”, integrante do novo álbum da banda. O vocalista Jon Bon Jovi, com seus 55 anos e um charme que ainda provoca suspiros, mostrou uma felicidade palpável através do seu olhar para os fãs.


Ao longo do show, foram apresentados seus grandes sucessos e algumas músicas do novo álbum. O setlist foi bem diferente do apresentado em Porto Alegre e na noite anterior no Rock in Rio. Antes de cantar o sucesso “Raise Your Hands”, Jon já avisou: “ É bom estar de volta aqui. Alguém viu a gente na TV ontem no Rock in Rio? Foi bem divertido tocar lá. Mas hoje será muito melhor”. Os fãs correspondiam à empolgação em todas as canções que foram apresentadas, acompanharam as muitas coreografias, mostrando grande animação a um Jon Bon Jovi especialmente inspirado... e feliz! Digo com certeza, pois, além de escrever a resenha do show, estava curtindo como fã da banda, e nunca os havia visto tão felizes como estavam em São Paulo.
Todos os integrantes estavam se divertindo, alteraram o setlist conforme o show corria, Jon se mostrou bem mais à vontade do que nas outras apresentações: foi diversas vezes para a passarela montada, desceu até a grade em “Lay Your Hands On Me”, se aproximou das fãs, tirou selfies e claramente estava em seu melhor estado de espírito. Parecia que havia finalmente tirado todo o peso de suas costas e que de agora em diante tudo seria diferente.
Jon causou furor na plateia quando chamou uma fã ao palco para cantar e dançar coladinho com a moça ao som da balada “Bed Of Roses”; ao final, a sortuda ainda ganhou um beijo. Foi um momento marcante de carinho. A voz de Jon, que ultimamente não andava muito boa, estava impecável: obviamente o tom das canções precisou ser modificado, por conta do problema que ele tem nas cordas vocais, contudo o timbre estava perfeito.


Era possível acompanhar a todo o momento nos telões os sorrisos de Jon e Phil X, guitarrista que assumiu a posição de Richie Sambora desde 2013, e que deu um show à parte, demonstrando muito carisma e energia contagiantes, além de executar perfeitamente os riffs e solos. Phil provou ser definitivamente o mais novo membro da banda: “Phil está completando 100 shows e ficará conosco para sempre”. Em um determinado momento, Jon fez um desabafo sobre tudo o que a banda passou nos últimos anos: “Richie nos abandonou no meio da turnê. Phil prontamente atendeu e veio nos ajudar. Phil caiu do céu, como uma estrela. Obrigado Phil”. O guitarrista, visivelmente emocionado, agradeceu. Acredito que a página Richie Sambora tenha sido, definitivamente, virada.


A música “Wanted Dead Or Alive” foi cantada em coro por uma legião de fãs que iluminava todo estádio com as lanterninhas de seus celulares. Nesse momento, Jon fez uma confissão que agradou a todos: “Tenho algo confidencial para contar: ano que vem, estaremos na estrada novamente, em turnê”. Essa notícia nos deixa esperançosos para que retornem ao Brasil.


“It’s My Life, “Someday I’ll Be Saturday Night” (versão original e não acústica como vinha sendo apresentada), “Have a Nice Day” e “Lost Highway” foram alguns dos grandes sucessos que não poderiam ficar de fora. Ao final de “Keep The Faith”, a banda saiu de cena como se fosse o final da apresentação, mas nenhum (nenhum mesmo) fã se mexeu, pois tinham a certeza que a banda voltaria para o já tradicional encore. Algumas pessoas começaram a gritar em coro por “Always”, canção muito solicitada nas apresentações em Porto Alegre e Rock in Rio e que não foi executada. De repente, na primeira batida de Tico Torres, o estádio veio abaixo, pois, ao contrário do que se poderia imaginar, se tratava da tão aguardada música. Jon entrou concentrado e cantou lindamente, como eu não via há tempos. Imaginava que esse seria o fim do show, já que a canção requer um esforço vocal tremendo para ser interpretada nos dias de hoje, mas (felizmente!) me enganei mais uma vez: Jon estava impossível naquela noite! Cantou o hino “Livin’ On A Prayer” e foi possível notar sua emoção e os olhos marejados ao ver o carinho de seu público em São Paulo.

Foto retirada de vídeo

No momento de, de fato, encerrar o show, me deparei com uma cena muito bonita: Tico Torres, o baterista, dando um grande abraço carinhoso em Jon, como se estivesse agradecendo por aquele momento juntos. A banda ergueu uma bandeira do Brasil e Jon ainda se cobriu com a bandeira, momento único para encerrar a noite. Mas para nossa surpresa, o querido showman chamou a banda, que já saía do palco, para fechar a noite com chave de ouro. Uma canção, que particularmente estava entalada em minha garganta desde 2013: “These Days”!! Naquele ano, no momento de cantar “These Days”, uma chuva torrencial começou a cair e o show precisou ser encerrado antes do previsto. Novamente, o estádio veio abaixo e a banda estava visivelmente emocionada com tamanho carinho. Algumas pessoas que compareceram no show do Rock in Rio afirmaram que a apresentação de São Paulo foi muito melhor e, ainda mais, que foi melhor que apresentações realizadas nos Estados Unidos.


Poderia ficar comentando desse show por horas, contando cada detalhe, cada gesto, cada emoção, mas certas coisas não consigo expressar e estarão guardadas na minha memória e na memória de todos que estavam presentes neste show, que foi, sem sombra de dúvidas, o melhor dos últimos tempos do Bon Jovi. E tenho certeza de que está guardado na memória da banda também.


Setlist The Kills:

1- Heart of a Dog
2- Kissy Kissy
3- Hard Habit to Break
4- Baby Says
5- Echo Home
6- Pots and Pans
7- Monkey 23


Setlist Bon Jovi:

1- This House Is Not for Sale
2- Raise Your Hands
3- Knockout
4- You Give Love a Bad Name
5- Born to Be My Baby
6- Lost Highway
7- We Weren't Born to Follow
8- Lay Your Hands On Me
9- In These Arms
10- New Year's Day
11- (You Want to) Make a Memory
12- Bed of Roses
13- It's My Life
14- Someday I'll Be Saturday Night
15- Wanted Dead or Alive
16- I'll Sleep When I'm Dead
17- Have a Nice Day
18- Keep the Faith
19- Bad Medicine

Encore:
20- Always
21- Livin' on a Prayer

Encore 2:
22- These Days


Por: Juliana Carpinelli
Revisão: Marcela Monteiro
Fotos: Ricardo Matsukawa / Mercury Concerts
Agradecimento pelo credenciamento: Simone Catto e Denise Catto - Catto Comunicação

2 comentários:

  1. Meu Deus!foi tudo isso mesmo, eu estava lá e fiquei de alma lavada.
    Mais fã ainda. Foi um show que não sairá da lembrança. Arrepios só de lembrar!

    ResponderExcluir
  2. Exatamente isso, estou ainda na vibe do show.......jamais esquecerei a emoção vivida lá!!!

    ResponderExcluir