Rádio Big Rock

Translate

13 de junho de 2018

Primeira apresentação do Quicksand no Brasil

Foto: Roberio Lima



Quando houve o anúncio da primeira visita do Quicksand ao Brasil, confesso que fiquei curioso. Não há nenhum problema em dizer que não conhecia a banda. Logicamente, corri para me inteirar do trabalho dos caras, e tenho que compartilhar com o raro leitor a alegria por "descobrir" mais uma ótima formação. Por outro lado, me vi envolto em certa frustração, por não ter conhecido a banda a mais tempo. E quem conhece o trabalho dos caras, sabe que certamente poderiam figurar entre os grandes no mainstream musical. Enfim, alguns mistérios que jamais terão explicação. O fato é que a espera finalmente chegou ao fim, e seria a grande oportunidade de ver esses músicos que além de fazerem história com o Quicksand, ainda figuram em formações como Deftones e Gorilla Biscuits. O caminho natural foi rumar para o Fabrique Club, e é certo que a grande maioria do publico nutriu enorme expectativa por esse show (me incluo nessa!). Todos já sabiam que se tratava de um evento especial, e para ficar ainda mais interessante foi confirmada a volta aos palcos do Eu Serei a Hiena, que ficou encarregado pela abertura do evento.

Foto: Roberio Lima

A banda que conta com renomados músicos da cena paulista e que tem em sua formação Juninho (Ratos de Porão), Fausto Oi (Direction e Inspire), Nino Tenório (Discarga) e Wash de Souza (Isóceles Krame). Fizeram uma apresentação equilibrada e com pegada bem diferente de outros projetos dos músicos envolvidos. Talvez essa seja a forma mais natural de externar as inquietações que os músicos não conseguem explorar em outros trabalhos. O fato é que certamente essa será uma das poucas apresentações dos rapazes, que fizeram um show bem interessante para os que chegaram cedo (e não foram poucos). Fizeram parte do setlist músicas dos dois trabalhos lançados pela banda com destaque para 'Sonambulo" e "Descompressão". 

Foto: Roberio Lima

Com um novo disco, já candidato a clássico debaixo do braço, Sergio Vega (baixo), Walter Schreifels (vocal e guitarra) e Alan Cage (bateria) trouxeram ao palco do Fabrique, toda aquela energia emanada dos três álbuns lançados pela banda, e que ficou conhecido como post-hardcore, por mesclar o hardcore tradicional com elementos de pós punk baseado em uma sonoridade intensa e emocional. E minhas expectativas amigos, foram todas superadas!! Já de cara, mandaram "Omission" do álbum de estreia "Slip". Aquele som denso com riffs altíssimos e refrões deliciosamente pegajosos, deram o tom da noite. Sergio Vega parecia entrar em transe enquanto dissecava seu instrumento. Já Walter Schreifels, com um carisma descomunal, fazia questão de ficar na beira do palco para ficar mais perto dos fãs. Como já havia dito, o novo álbum tem canções marcantes e já pode ser considerado mais um clássico na trajetória dos caras. 'Interiors" está recheado de canções de muito bom gosto – prova disso foi a recepção para "Illuminant", que abre o novo disco e foi um entre vários destaques. A apresentação teve quase duas horas de duração e, não preciso dizer que ninguém reclamou. Mais uma escolha acertada pela produtora Powerline! E já sabemos que virão muitas novidades por ai...


Foto: Roberio Lima


Setlist Quicksand:

Omission
Under The Screw
Fire This Time
Illuminant
Fazer
Too Official
Lie & Wait
Delusional
Warm And Low
Normal Love
Blister
Unfulfilled
Brown Gargantuan
Cosmonauts
Shovel
Thorn in My Side
Head To Wall
Dine Alone
Skinny (It´s Overflowing)




Por: Roberio Lima
Agradecimento pelo credenciamento: Erick Tedesco - Powerline

Nenhum comentário:

Postar um comentário