Dicas

Translate

16 de agosto de 2019

Michale Graves - Carioca Club – São Paulo (SP) 22/06/2019

Foto: Roberio Lima

Pela quantidade de fãs usando camisetas do Misfits nas imediações do Carioca Club, a noite prometia ser bastante intensa no evento que estava programado para acontecer na badalada casa de shows nas proximidades de Pinheiros. Michale Graves que vinha  desenrolando uma bem sucedida turnê pela América latina, trouxe para São Paulo um show intenso e cheio de clássicos da fase em que esteve na banda (n.do r.: Logo depois desse evento, o músico causou uma enorme polêmica ao abandonar a turnê, sem honrar os compromissos que viriam na sequência. Isso gerou troca de acusações entre o vocalista e a produtora responsável pelos shows da turnê). O atrativo maior dessa apresentação logicamente tem relação direta com o anúncio de que tocaria os álbuns “American Psycho”(1995) e “Famous Monsters” (2001) na sequência. 

Seguindo pontualidade britânica, as 18:59h, a banda já ia ocupando os espaços do palco, ao mesmo tempo que a introdução do que seria a abertura do show “Abominable Dr. Phibes”, emanava pelos alto falantes.. Nada menos que “American Psycho” abriu de fato as festividades com um público em êxtase. Michele Graves que utilizava  uma camisa de força, logo tirou o adereço, pois o calor dentro do Carioca aumentava consideravelmente. Muitos celulares tentavam registrar aquele momento que para a grande maioria era especial. 

Foto: Roberio Lima

O público em certos momentos parecia participar de alguma espécie de competição, tamanha a empolgação ao cantar cada letra o mais alto possível. Por motivos óbvios o set não teve nenhuma novidade, mas a euforia era enorme ao receber na cabeça sons como “Dig Up Her Bones” e “Day Of The Dead”. E tome ‘rodas’ e mais ‘rodas’ em uma pista abarrotada. A casa de show esteve muito perto de sua lotação máxima, e confesso que foi uma tarefa árdua transitar em meio as pessoas que se aglomeravam para ficarem mais próximas do palco. A primeira parte do show chegava ao fim com “Shining”, e durante a parada de alguns minutos, muitos aproveitavam a pausa para a “hidratação”. 
Quando Michale Graves voltou ao palco detonando “Kong at The Gates”, o público parecia ainda mais agitado. A banda que acompanha Graves é muito boa e cumpriu seu papel com competência e profissionalismo. Musicas como “Dust to Dust”, “Crawling Eye” e “Witch Hunt” iam mantendo a adrenalina em alta. Confesso que já imaginava que seria dessa forma, mas realmente as expectativas foram superadas! 

O show já estava caminhando para sua parte final quando “Saturday Night”, se fez presente, com o público já totalmente extasiado pelo que viam até ali. O inevitável fim estava próximo e já sabíamos que em pouco tempo o Carioca Club se transformaria no reduto do pagode (depois do show, aconteceria um evento dedicado ao samba na casa).   Então, “Helena” e “Kong Unleashed” encerraram o que viria a ser o último show do giro que Michale Graves faria pela América Latina.Importante registrar que não faremos julgamento sobre o ocorrido depois dessa apresentação, pois até aqui a produção e artista tiveram postura exemplar. 

Por isso, manteremos o foco no espetáculo, e isso, ninguém pode reclamar, pois o que vimos no palco do Carioca Club foi absolutamente único! 



Setlist Michale Graves:

American Psycho
Abominable Dr. Phibes
American Psycho
Speak of the Devil
Walk Among Us
The Hunger
From Hell They Came
Dig Up Her Bones
Black Light
Resurrection
This Island Earth
Crimson Ghost
Day of the Dead
The Haunting
Mars Attacks
Hate the Living, Love the Dead
Shining
Don’t Open ‘Til Doomsday
Hell Night
Famous Monsters
Kong at the Gates
The Forbidden Zone
Lost in Space
Dust to Dust
Crawling Eye
Witch Hunt
Scream!
Saturday Night
Pumpkin Head
Scarecrow Man
Die Monster Die
Living Hell
Descending Angel
Them
Fiend Club
Hunting Humans
Helena
Kong Unleashed


Por: Roberio Lima

Agradecimento pelo credenciamento: Màrllon Matos - Lex Metalis Assessoria / EV7 Live

Nenhum comentário:

Postar um comentário