Rádio Big Rock

Translate

23 de abril de 2018

Show impecável do CPM22 em São Paulo

Uma tarde de domingo super agradável para curtir um ótimo show! E foi exatamente o que a galera pode conferir no domingo (08), no Tropical Butantã, em São Paulo, com uma bela demonstração da cena underground e que prova estar cada dia mais viva.
CPM22, Dead Fish, Dance Of Days e Rocca fizeram todos os presentes voltarem ao passado relembrando a época de Street Rock.

Foto: Francisco Arcanjo

A primeira banda a subir no palco foi Rocca (o horário de início informado no flyer do evento não foi cumprido, pois a banda iniciou a apresentação com um atraso de 1h50!). Banda de Fortaleza e com uma ótima pegada, na linha pop dance e misturas de sintetizadores em algumas músicas. Era uma responsabilidade e tanto abrir um show para outras três bandas fortíssimas no underground brasileiro. Em minha opinião, eles lembram um pouco, o estilo da banda Supercombo. Destaque para as faixas “Rival de Cinema”, “Anti-Herói” e “Sinal de Alerta”. O Tropical Butantã estava bem vazio para a apresentação do Rocca, mas fizeram um show marcante e provaram que vieram para ficar. Infelizmente, tiveram que deixar o palco com apenas 30 minutos de show, pois a produtora do evento estava atrasada com as demais atrações.

Foto: Francisco Arcanjo

A segunda banda a subir no palco foi o Dance Of Days (#GODANCEGO) e provam que ainda são uma das bandas mais fortes do cenário independente do Brasil.
Não conheço ninguém que já tocou ou tenha banda, que não conhece o Dance Of Days e seu vocalista Nenê Altro, um ícone da cena independente.

Foto: Francisco Arcanjo

Mesmo após várias mudanças em sua formação, a banda faz um ótimo som e um show simplesmente fantástico (conheço bem a história da banda, tenho vários CD’s e essa foi a primeira vez que vi ao vivo e digo que foi SHOW!). A apresentação foi um passeio pelos clássicos: “Lírios Aos Anjos”, “Me Leve As Estrelas”, “Vinde A Mim” entre outros e que eu passaria horas comentado cada faixa. Um dos momentos marcantes do show foi quando aos primeiros acordes da música “Vai Ver é Assim Mesmo”, Badauí (vocalista do CPM22), começou a cantar junto com Nenê. Os fãs ficaram eufóricos com essa participação mais que especial.
Novamente, o show foi curto, devido ao atraso inicial das apresentações.

Foto: Francisco Arcanjo

O Dead Fish foi a próxima banda e de cara o vocalista Rodrigo já mostrou como seria a apresentação, fazendo um breve discurso político sobre a situação que o país vive. O show começou com a faixa “A Urgência” e na sequência foram só clássicos dos 25 anos de história da banda. Não faltaram os famosos “mosh” mostrando que a galera estava curtindo e cantando cada música apresentada.

Foto: Francisco Arcanjo


Foto: Francisco Arcanjo

Pouco mais de 21hs e eis que era chegada a hora do show mais aguardado da noite. CPM22 subiu ao palco para mostrar seus maiores sucessos e apresentar o mais recente álbum, “Suor e Sacrifício”. O CPM22 provou nesse show que o tempo pode passar, algumas mudanças na banda ocorreram, mas a essência e musicalidade da banda permanecem, e posso afirmar que era possível sentir isso ainda mais forte durante esse show. “Ser Mais Simples”, “Cruz”, Regina Let’s Go”, “O Mundo da Voltas” foram algumas das faixas apresentadas e não só eu, como o Tropical Butantã em peso, cantou a plenos pulmões!

Foto: Francisco Arcanjo

Encerraram a noite com “Um Minuto Para O Fim Do Mundo” e deixaram a certeza o porque estão há mais de 20 anos na estrada e sempre com um público fiel. 

Um domingo atípico e encerrado de forma memorável. Ao final do show do CPM22, tivemos o prazer de realizar uma entrevista com o vocalista Badauí...mas isso é assunto para outra matéria.


Foto: Francisco Arcanjo


Por: Francisco Arcanjo
Agradecimento pelo credenciamento: Willer Carvalho

Um comentário:

  1. Francisco Arcanjo um dos melhores no ramo da fotografia ��

    ResponderExcluir