Dicas

Translate

29 de novembro de 2019

Manuche faz show de lançamento com participação de Andreas Kisser e Yohan Kisser

Foto: Reprodução

A banda Manuche se apresenta no próximo sábado, dia 30 de novembro, no Teatro UMC em São Paulo para o show de lançamento do seu segundo disco "Mantenha a Fé".  O disco marca o início de um novo ciclo para a banda, com uma sonoridade mais madura e um repertório diferente do primeiro trabalho. 
O show contará com as participações especiais de Andreas Kisser (Sepultura) e Yohan Kisser (Sioux 66).


Serviço:

Teatro UMC - Av. Imperatriz Leopoldina, 550 - São Paulo - Tel . (11) 2574-7749

Horário: 22h - A casa abre a partir das 21h.

Ingressos: R$ 40 (inteira) R$20 (meia entrada) e R$35 (antecipado os 150 primeiros)

Vendas online: https://teatroumc.com.br

Duração: 90 min

Classificação: Livre





Manuche lançou o segundo álbum da carreira em maio deste ano. “Mantenha a Fé” marca o início de um novo ciclo para a banda, com uma sonoridade mais madura.
O disco traz um repertório diferente do primeiro trabalho, “Livre”, com um rock mais pesado. À frente da banda estão os músicos Tom Gil, que também é empresário do “Sepultura” e Feeu Moucachen.

O líder do Sepultura, Andreas Kisser, acompanha a trajetória do Manuche desde a sua formação. O roqueiro participou do primeiro disco, “Livre”. “O disco traz uma bagagem nova da banda. É um disco mais pesado, com mais atitude. Com sangue nos olhos, Manuche criou casca. Tem uma cara nova, mais realista e agressiva, no bom sentido da banda. “Mantenha a Fé” é um disco muito importante para a carreira dos músicos. Torço por eles. São músicos que têm qualidade e coisas únicas que outras bandas não têm e que podem ser mostradas na cena musical da atualidade”, diz Andreas.

São nove singles, sendo oito em português e um instrumental: “Pressa de Você” (faixa com videoclipe), “Na Mira do Inimigo”, “Revolução”, “Do Lado de Fora” (participação especial Dani Mônaco), “Procure Saber”, “Mantenha a Fé”, “Superstar”, “Fuga” (instrumental) e “Balada do Louco” (faixa com videoclipe).

As letras e as composições são de Tom Gil, exceto “Revolução” (dividida com Feeu Moucachen) e “Balada do Louco” (Rita Lee e Arnaldo Dias Baptista).


Além de Tom Gil (gaita e voz) e Feeu Moucachen (guitarra), Manuche traz as atuações de Luis Capano (bateria), Fábio Sá (contrabaixo), Gustavo Barros (guitarra e cordas na faixa “Do Lado de Fora”), Renato Zanuto (hammonds e mini moogs), Jamah, Éricka Nascimento e Rodrigo Mozart (backing vocal).


“Mantenha a Fé” foi produzido e arranjado por Gustavo Barros e co-produzido por Alexandre Fontanetti, que também colaborou com a edição e gravação junto com Leandro Henrique no estúdio Space Blues.


A mixagem ficou a cargo de Alberto Vaz e Jordan Reed no The Castle Recording Studios, em Nashville (Tennessee). A masterização foi feita por Richard Dodd e músicas editadas por Warner Chappell.

 A capa traz um toque de ousadia: um jogo de cartas de Tarot. A produção vem de um time comandado pelos diretores de arte Rodrigo Scapolam e Sérgio Takahata.

 Em “Livre” – primeiro trabalho da banda - Tom Gil e Feeu Moucachen rechearam as nove faixas com rock fortemente influenciado pelo blues. O disco contou com as participações de Andreas Kisser, Tuco Marcondes, Billy Brandão, Walter Villaça e Felipe Cambraia.


Dois singles ganharam videoclipes: “Alice” e “Se Hoje Fosse Antes”, lançados no canal Multishow e no YouTube em outubro de 2013 e maio de 2014, respectivamente.

Bio

Manuche é um termo cigano de origem indiana que significa “homem livre”.

Dentro do conceito música/liberdade, Manuche é uma banda de blues rock nacional fundada em março de 2012 por Tom Gil e Feeu Moucachen.

Ambos atuantes na cena musical de São Paulo com projetos independentes desde o início dos anos 2000, resolveram unir forças para produzir um som autoral autêntico que traz desde influências do blues elétrico das décadas de 50 e 60 ao tradicional rock ainda entoado pelos Rolling Stones e ACDC.


Tom Gil é cantor, compositor, publicitário e empresário artístico, Tomas Alem Gil nasceu em 13 de Abril de 1976 na cidade de Catanduva (interior de São Paulo). Aos dois anos de idade mudou-se para a capital paulista e sete anos mais tarde para a cidade de Santo André, no ABC.

O interesse pela música começou cedo, mas iniciou a prática de violão e gaita aos 15 anos influenciado pela forte cena rock que invadiu o ABC paulista nas décadas de 80 e 90. E foi ali, com 16 anos, que subiu ao palco pela primeira vez cantando covers de classic rock para uma audiência de aproximadamente 5 mil pessoas num tradicional baile do colégio em que estudava.

A carreira de músico teve início verdadeiramente em 1994, ao retornar de um período de seis meses de intercâmbio no Tennessee, quando recebeu o convite para assumir os vocais e tocar gaita na banda de blues e shuffle “Slide Boogie”. 

Após nove anos de imersão nesse universo amplo de Robert’s, John’s, Stevie’s & Stones, em 2002 assumiu definitivamente sua vertente autoral com a formação da banda de pop rock independente “Porto Cinco2”.

Nos anos seguintes, se apresentou nas principais casas da cidade de São Paulo e interior, fez shows em parceria com Andreas Kisser (guitarrista do Sepultura), Max de Castro, Sideral, Bnegão (Planet Hemp), Milton Guedes, Nasi (Ira!), Sergio Serra (ex-integrante da banda Ultraje a Rigor), Victor Brooks, entre outros.

Tom abriu shows do Skank, Jota Quest, Frejat e Tihuana e gravou dois discos independentes autorais “Endereço da Intenção” e “Tudo ao mesmo tempo”.

Após o encerramento das atividades do Porto cinco2, participou como convidado da banda Hail (do guitarrista Andreas Kisser/ Sepultura) na edição 2010 do Rock in Rio Lisboa.

No ano seguinte, foi responsável pela idealização, concepção e realização do álbum “C&A em Cores” em parceria com o também cantor, compositor e diretor artístico Zé Ricardo.

Em 2012, juntou-se a Feeu Moucachen para tirar o projeto Manuche do papel. No mesmo ano, foi convidado pelo músico Nando Reis para fazer a gestão da Infernal Produções e de sua carreira.

Foi responsável pelo lançamento do álbum e da turnê “Sei”, em parceira com os Correios, e pelo DVD/CD ao vivo “Sei como foi em BH” que conquistou a marca DVD de ouro em três meses.

Em outubro de 2013, lança o disco “Livre” do Manuche em parceria com a Warner Music e passa a se apresentar com a banda por diversas cidades para divulgar o novo trabalho nos anos seguintes.

Em Agosto de 2014 encerrou suas atividades com o Nando Reis e em 2015 foi convidado para representar a banda Sepultura e fazer a gestão da Tribus produções. 

Três anos depois inicia as composições para o álbum “Mantenha a Fé” que é lançado em 24 de Maio de 2019.


FEEU MOUCACHEN é guitarrista e compositor. Nasceu na capital paulista, em 29 de dezembro de 1978. Autodidata, começou a tocar violão aos dez anos de idade, tendo seu pai – também músico – como principal inspiração.

Em busca de novas técnicas, estudou no Conservatório Musical Souza Lima e posteriormente, se aprofundou na “magia” do Blues com o renomado guitarrista Marcos Ottaviano.

Na lista de influências há nomes como Beatles, Led Zeppelin, Guns N’ Roses, Queen, Eric Clapton, Rolling Stones e Supertramp, além das bandas dos anos 50, 60 e 70.

Participou de diversas bandas de Rock Clássicos e Pop Rock ao longo dos últimos 15 anos, incluindo os grupos Maui (onde começou a carreira e ficou por dez anos, acumulando composições autorais), Dona Brígida, Xponjas, AM & FM, Paul McCartney Brasilian Tribute Act, além de parcerias especiais com a banda AMPDRIVE.

Em 2012, passou a integrar junto com o cantor e compositor Tom Gil, o projeto Manuche, que nasceu com a intenção de resgatar a sonoridade do blues rock em alto e bom som e mostrar que o rock nacional ainda está longe de ter seu nome escrito numa lápide.


Links

Instagram: @manucheoficial


Agradecimento: Adriana Baldin

Nenhum comentário:

Postar um comentário